E-book de Natal!

O Desafio Natal Sem Glúten foi um sucesso! Conseguimos reunir 14 receitas de diferentes temperos e sotaques de todo país. E agora, todas as receitas que reunimos no YouTube estão reunidas em um e-book abaixo:

Para ver todas as receitas desse desafio, siga os canais participantes:

– Minha Vida Sem Glúten https://bit.ly/2UjVUEc

– Ana Monteiro Alimentos https://bit.ly/2Srigls

– Sabor Sem Limites https://bit.ly/2IE6r7h

– Gluten Free Cris https://bit.ly/2EhRUzv

– Chef Carla Maia https://bit.ly/2QdjnbQ

– Menu Sem Glúten https://bit.ly/2QjcLbV

– Ser Leve https://bit.ly/2Sxu05R

– Panela da Ju https://bit.ly/2EfbWul

– Minha Cozinha Livre https://bit.ly/2Egn3Dp

Vídeo sem Glúten https://bit.ly/2KWBdtK

– Soul Intolerante https://bit.ly/2G3Q0nT

– Gostoso Sem Glúten https://bit.ly/2Ry8HRL

– Nutricionista Patrícia Neves https://bit.ly/2RFv6ww

Feliz Natal!

Costela de Porco com Chutney de Maçã

Fui desafiada pela Vanessa Damasceno do @canalvideosemgluten a fazer um prato principal usando maçã! Escolhi essa receita de costela com chutney de maçã e ficou uma delícia, gente!
Acompanhem a #DesafioNatalSemGlúten para ver os outros vídeos dessa super liga de blogueiras! E agora eu desafio a amiga Ana Monteiro Alimentos a fazer uma entrada usando pimenta rosa. Fiquem ligados!

Costelinha de porco assada com chutney de maçã

Ingredientes:

2 kg de costelinha de porco
Tempero a gosto (se for comprar a carne já temperada, certifique-se de que o tempero é seguro e sem contaminação cruzada).

Para o chutney de maçã:

1/2 cebola picada
2 xícaras de maçã gala em cubos bem pequenos (sem casca)
1/4 de xícara de suco limão
1/2 de xícara de vinho branco
2 xícaras de água
2 colheres (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de mel
4 colheres (sopa) de mascavo
2 colheres (sopa) de mostarda
Sal e pimenta moída na hora
Outros temperos: Eu usei cardamomo, cravo em pó, noz-moscada. Pode por canela em pó também!

Como que faz?

Como várias receitas de Natal, essa leva um bom tempo para ficar pronta. Deixe tudo pronto de véspera para não ficar apertado com o tempo!

Primeiro é preciso preparar a costelinha: tempere com sal, pimenta, alho, ervas  e suco de limão (caso já não tenha comprado ela pré-temperada). Coloque em uma vasília tampada e deixe na geladeira ate a hora do preparo. O ideal é deixar descansando por 12 horas ou mais.

A costela vai ao forno médio, com papel alumínio por cima, por pelo  menos 3 horas, para ficar bem macia. Se a receita for para a ceia, comece a assar a costela bem cedinho! Se for para o almoço, vale fazer na noite anterior.

Chutney de maçã: 

Leve ao fogo uma panela, coloque a manteiga e a cebola e refogue. Coloque a maçã e o açúcar mascavo e mexa por alguns minutos, acrescente o mel, o suco de limão, o vinho e a água.

Misture os ingredientes e tampe a panela, deixe cozinhar até começar a secar mexendo de vez em quando. A maçã deve ficar desmanchando, viu? Se achar necessário acrescente um pouco mais de água e cozinhe mais um pouco.

Quando a maçã estiver no ponto desejado coloque as especiarias, a mostarda, uma pitada de sal e pimenta. Cozinhe por mais alguns minutos até obter uma mistura pastosa, dourada e com poucos líquidos. É muito importante ir mexendo bastante para dar o ponto caramelado, viu? Não esqueça a maçã no fogo rsrsrs.

Depois que a carne tiver assado por pelo menos 2 horas e estiver completamente macia, soltando do osso, vire os ossos para baixo e cubra generosamente a superfície da carne com o chutney de maçã. Coloque de volta no forno e deixe por mais aproximadamente 30 minutos até que a cobertura e o molho do fundo da forma fiquem bem dourados, mas sem queimar.

Decore com alecrim, sirva e tenha um feliz e delicioso Natal!

Fotografia: Sílvia Espeschit

Receita original: Blog Mel e Alecrim

 

Caldo de couve-flor

 

O inverno custou para aparecer esse ano, não é mesmo? Acredito que o frio que poderia ter acontecido não chegou ao seu verdadeiro potencial, mas o climinha de chuva aqui em Belo Horizonte já justifica um caldo bem quentinho para o jantar!

A receita de hoje é esse caldo de couve flor delicioso!

Caldo de couve-flor e frango

  • 1 couve flor grande
  • 2 peitos de frango
  • cebola
  • alho
  • cebolinha
  • azeite
  • sal e pimenta do reino

Como que faz?

  1. Pique os peitos de frango em pedaços pequenos, tempere com sal e pimenta e deixe separados.
  2. Coloque a couve-flor para cozinhar, em água com sal.
  3. Enquanto a couve-flor cozinha, refogue o frango no azeite, cebola e alho. Deixe o frango ficar bem cozido!
  4. Quando a couve-flor estiver cozida (ela fica mais macia), bata ela no liquidificador com um pouco de água do próprio cozimento. Cuidado para não exagerar, senão o caldo vai ficar muito aguado, viu?
  5. Junte o caldo com o frango, mexa bem até ferver.
  6. Coloque cebolinha picada e misture.
  7. Sirva e coma feliz!

Bolo pink!

Hoje a receita é de comer com os olhos!

Esse bolo de beterraba fica com um tom rosa-avermelhado lindo e 100% natural. O sabor também é super interessante, diferente dos bolos que estamos acostumados a comer. Além disso é super fácil de fazer, gente! Tentem fazer essa delícia em casa e depois me contem, ok?

Bolo de Beterraba

(receita adaptada do Tastemade )

  • 3 beterrabas pequenas, descascadas, em pedaços
  • 2 ovos
  • Suco de um limão
  • 1/4 de xícara de óleo vegetal (usei de gergelim)
  • 1 1/2 xícara de farinha sem glúten (usei da Amina)
  • 1 1/2 xícara de açúcar
  • 1/2 colher de chá de fermento

Como que faz?

  1. Bata no liquidificador a beterraba com os ovos, o suco de limão e o óleo.
  2. Em uma tigela separada, peneirar a farinha e misturar com o açúcar e o fermento.
  3. Juntar a massa do liquidificador com a da tigela e mexer bem!
  4. Assar em forno preaquecido a 180 graus por uns 30 a 40 min (vá fazendo o teste do palito, até sair seco). Sugiro forminhas de cupcake (fique atento pois neste caso vai assar mais rápido!) ou forma redonda com buraco no meio. Com minha forma retangular, como na foto, demorou muito pra assar o meio.
  5. Se quiser, pode colocar uma calda de chocolate no bolo. A que eu fiz foi uma mistura que levei ao fogo de uma xícara de açúcar, uma xícara de chocolate em pó (usei o da Nestlé, dos frades), 1/4 de xícara de leite (pode ser sem lactose) e 50g de manteiga.

Depois é só esperar esfriar e comer feliz!

Meu forno anda meio temperamental e o bolo deu uma leve embatumadinha no fundo, como dá para vocês verem na foto. Mas ainda assim ficou delicioso!

Foto por Sílvia Espeschit

Cookies, cookies e mais cookies!

No tempo que passei na Irlanda em 2017, tive a alegria de saborear os cookies sem glúten do supermercado Tesco. E muitas vezes! Eram sensacionais!

Andei procurando uma receita simples e gostosa de cookies para o fim de ano. Acabei fazendo umas adaptações para ficar sem glúten! Para ficar sem lactose, é só substituir o chocolate e a manteiga pelas versões lac free, ok?

A receita inteira rende mais de 50 cookies (oooops hahaaha). Mas sabe que gostei da quantidade? Fim de ano é aquela época que a gente fica no clima da partilha, da generosidade.. e aí todo mundo que comeu, amou! Se quiser fazer menos, é só dividir a receita.

Cookies com gotas de chocolate

  • 2 xícaras de açúcar mascavo
  • 2 xícaras de açúcar cristal
  • 2 xícaras de manteiga derretida
  • 4 ovos
  • 5 xícaras de farinha sem glúten (dá praticamente quase 500g)
  • 1 colher de sopa de essência de baunilha
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 4 xícaras de gotas de chocolate (se não achar em gotas, pode comprar em barra mesmo e cortar quadradinhos)

Como que faz?

Vá colocando os ingredientes e misturando, à mão mesmo, um a um.

Forre um tabuleiro (ou mais de um, se couber no seu forno) com papel manteiga. Vá colocando a quantidade de massa equivalente a uma colher rasa de sobremesa, dando distância entre os cookies (eles vão espalhar quando ficarem quentes). Não precisa preocupar em já fazer o formato do cookie. Pode só colocar os montinhos de massa mesmo!

Leve ao forno pré aquecido (200 graus) e deixe assar por cerca de 10 min, ou até os cookies começarem a ficar douradinhos por baixo.

Espere esfriar para tirar do papel manteiga (senão os cookies vão quebrar, viu? experiência própria! hahaha)

A quantidade dessa receita dá para muitas fornadas. Se não quiser fazer tudo de uma vez, dá para guardar no freezer, já nos formatos de bolinhas, para assar depois (no máximo 3 semanas depois).

Bom apetite e Feliz Ano Novo!

 

Foto: Sílvia Espeschit

 

Pãozinho low carb de amendoim!

Se tem uma coisa que a vida celíaca trás pra gente é a alegria de conseguir cozinhar algo que fique delicioso! Celíaco que cozinha tem, com certeza, mil casos para contar de receitas que deram errado, pães que ficaram duros e bolos que esfarelaram rsrsrs. Tudo isso é um aprendizado!

A receita de hoje é uma delícia e super fácil de fazer! É #lowcarb , #glutenfree e #semlacteos ! Além disso tudo, deixa um cheirinho maravilhoso de amendoim pela casa… hummm!

Pãezinhos low carb de amendoim

  • 3 ovos
  • 1 xícara de amendoim torrado e moído (dá para encontrar no supermercado prontinho e ensacado. Confira sempre o rótulo!)
  • 1 colher de sopa de farinha de linhaça
  • 4 colheres de sopa de água
  • 4 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de sopa (rasa) de fermento

Como que faz?

Bata todos ingredientes juntos na batedeira, liquidificador, ou mixer. Depois, é só colocar em forminhas de cupcake (rende cerca de 10), ou em uma forma de bolo inglês.

Assar por cerca de 20 min em fogo médio, ou até ficarem douradinhos!

Os bolinhos ficam bons para consumo por cerca de dois dias fora da geladeira. Não recomendo passar muito dos três dias, viu?

Bom apetite!

 Foto: Sílvia Espeschit

Minha família sem glúten!

Ando super sumida aqui do blog, mas o assunto de hoje não ia caber no Instagram!

Comentei esses dias lá no @minhavida.semgluten sobre o casamento da minha irmã, no qual tivemos três celíacos (diagnosticados) no local. Em um universo de 250 pessoas, estávamos mais ou menos na proporção correta de celíacos da população. E ainda por cima diagnosticados, o que é bem difícil!

E como éramos três, conseguimos montar um esquema com salgadinhos e docinhos sem glúten pra gente. Orientamos muito bem o pessoal do buffet sobre a questão da contaminação cruzada (até o forninho de esquentar os salgados foi emprestado aqui de casa), e tivemos uma garçonete só para servir a gente. Emoção define! A gente se  acostuma a ir em festas, levar marmita ou não comer nada. Mas esse dia foi especial! Agradeço muito à minha irmã Sarah e minha mãe Angela pelo suporte, ao pessoal da Chácara Chiari por ter feito tudo certinho, e à  Não Contém pelas comidas deliciosas!

Quem são os celíacos da família?

Então, Doença Celíaca é algo super raro, mas com componentes de pré disposição genética. Às vezes não manifesta em ninguém da família, mas no meu caso foi diferente: dois casos antes de mim. E ainda assim foi difícil de chegar ao diagnóstico.

Meu tio Cláudio José Borela Espeschit, por parte de pai, recebeu o diagnóstico já tem alguns anos. Assim como eu, passou por vários médicos até descobrir o que estava acontecendo. Diferente de mim, que inchei muito por causa da inflamação, ele foi perdendo peso devido à dificuldade de absorção no intestino – a Doença Celíaca atrofia as vilosidades intestinais, por isso a análise da endoscopia é tão importante!

Mas olha, se não fosse minha prima, a Dra. Ana Cristina Rocha Espeschit, provavelmente estaríamos sofrendo até hoje. Doutora em nutrição, foi ela que acendeu o alarme nas duas situações: na minha, anos mais tarde, e do meu tio. Isso colaborou demais para a gente chegar ao diagnóstico, principalmente porque eu ia aos médicos e eles me liberavam com Buscopan, sem saber o que era. Eu mesma duvidava, mas ao ver fotos de celíacos com a barriga super redondinha ao ingerir glúten, não teve como não me identificar!

Mais uma celíaca da família é a Jéssica Macedo, minha prima de segundo grau por parte de mãe (oooutro lado da família), diagnosticada há incríveis 5 anos. Ele sentiu o intestino desregulado por alguns dias, depois de passar um tempo visitando a família em BH (com direito a muitos pãezinhos, bolos… lanches bem mineiros, né?). Para ver o que era, foi a um médico lá de São Paulo (SP), onde ela mora. E… plim! Raríssimo e fantástico, né? A Jéssica foi a primeira celíaca que conheci na vida, e sempre via nas festinhas de Natal algo separado para ela. Agora podemos comer juntas! Oba!

E vocês? Tem mais celíacos na família para dar aquela força?

Me contem aí nos comentários!

 

Bolo de coco

Que emoção ter feito meu primeiro “bolo de aniversário” sem glúten e sem lactose!

Apesar de meu aniversário ser só em Março, hoje, dia 22 de fevereiro é um dia de muita celebração para mim. Isso porque nesta data completo um ano do meu diagnóstico de doença celíaca. E foi um grande presente, que mudou a vida!

A gente passa perrengue sim, a gente sofre de vez em quando com contaminação cruzada sim, a gente passa vontade com coisas que comíamos antes sim! Por isso hoje é dia de comemorar muito, por viver esse ano da melhor forma que consegui, e passando longe do glúten. Nada melhor para comemorar do que dar uma escapadinha da dieta com esse bolo de coco delicioso!

BOLO DE COCO

INGREDIENTES DA MASSA

  • 2 xícaras de farinha sem glúten (usei da Aminna)
  • uma xícara e meia de açúcar
  • um pacotinho de coco ralado (200g)
  • uma colher (de sopa) de fermento
  • uma colher (de chá) de sal
  • uma colher (de chá) de goma xantana
  • uma colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 04 ovos
  • uma colher de chá de essência de baunilha
  • um vidrinho de 200ml de leite de coco
  • uma xícara de óleo

INGREDIENTES DO RECHEIO

  • 1 pacote de coco ralado
  • 1 lata de leite condensado sem lactose
  • 2 colheres de sopa de Becel (da embalagem azul, que é sem leite)

INGREDIENTES DA COBERTURA

  • 1 lata de creme de leite sem lactose
  • 1 lata de leite condensado sem lactose
  • 5 colheres de sopa de chocolate em pó solúvel
  • 3 colheres de copa de Becel (da embalagem azul, que é sem leite)

COMO FAZER?

Misture os ingredientes secos primeiro (exceto a goma xantana) e leve à batedeira junto com os demais ingredientes. Sugiro colocar a goma por último para a massa não ficar muito difícil de mexer!

Depois, é só virar em três formas de 15 cm de diâmetro (untadas com Becel e com farinha de arroz )e assar por 50 minutos.

Enquanto isso já dá para ir fazendo o recheio e a cobertura. Para cada um, basta juntar os ingredientes listados e ir mexendo em fogo médio até começar a dar bolhas. Depois, deixar esfriar.

Quando o bolo estiver pronto e mais frio, tirar das formas, acertar as extremidades com uma faca para ficarem bem nivelados e começar a montagem! Funciona assim: uma camada de bolo, uma do recheio, outra de bolo, outra de recheio e para terminar mais uma de bolo. Depois é só jogar a cobertura por cima e, se quiser, decorar com coco e morangos! Deixe na geladeira até a hora de servir.

Ah! E não se esqueçam de sempre verificar se todos os ingredientes são realmente sem glúten, lendo com muito carinho todas as embalagens.

Bom apetite!

Foto: Sílvia Espeschit

 

Plaquinhas de Natal

O fim de ano foi pesado, parecia que não ia acabar, mas finalmente chegou a hora de estar juntinho com a família! E quando junta a família significa que vai ter comida, não é? E se vai ter muita comida também, possivelmente, teremos alimentos com glúten, e muita gente desavisada usando talher sujo de glúten nas comidas seguras e…vixi! A confusão tá formada rsrsrs.

Pensando nisso, criei especialmente para nós, celíacos, essas lindas plaquinhas para usarmos no Natal. É só imprimir aí mesmo, na sua casa, recortar, colar em um palito de churrasco (eu usei um canudinho colorido) e sair espetando nas comidas afora! É um jeito mais simpático de sinalizar o que podemos comer e também o que não podemos passar perto. Afinal, Natal é hora da gente celebrar o amor, o carinho, e não de passar no banheiro com dor de barriga rsrsrs.

Espero que vocês aproveitem da mesma forma como vou aproveitar nas refeições em família do fim de semana. E me mandem fotos da mesa de vocês porque quero ver como ficou!

Desejo um Feliz Natal para todos com muitas comidinhas deliciosas sem glúten (e sem lactose, se for o seu caso também!)

plaquinhas-minha-vida-sem-gluten-para-a-ceia-de-natal

Biscoitos Natalinos Sem Glúten e Sem Lactose

Sempre adorei o Natal, o clima dessa época e tudo mais… E as comidas que a gente só come nas festa de fim de ano? Para mim isso é algo muito marcante. O cardápio pode ser o mesmo todo ano que a gente vai feliz saborear!

E este Natal de 2016 marca para mim um super recomeço, pois é o meu primeiro após o diagnóstico da doença celíaca. Para quê focar no que eu não poderei comer, se eu posso adaptar e criar coisas novas?

Encontrei no site do açúcar União uma receita de biscoitos natalinos, fiz as devidas substituições e voilà: cheguei a este delicioso biscoito sem glúten e sem lactose! O mais legal é que é uma receita super lúdica, pois no fim a gente pode decorar os biscoitos com glacê real. As crianças vão amar também!

Vamos à receita?

BISCOITINHOS DE NATAL

INGREDIENTES

A) MASSA

  • 1 e ½ xícara (chá) de de açúcar  (240g)
  • 1 colher (chá) de de raspa de limão (2g)
  • 5 colheres (sopa) de de manteiga (120g) – usei a Becel Azul, pois não possui leite!
  • Canela em pó
  • 2 gemas (cerca de 40g)
  • 2 e ¼ xícaras (chá) de de farinha sem glúten Aminna (247,5g)
  • 2 claras (cerca de 80g)
  • 1 colher (chá) de de fermento em pó (4g)

B) GLACÊ REAL

  • 1 e ½ xícara (chá) de União Glaçúcar (172,5g)
  • 2 colheres (sopa) de de suco de limão (30ml)
  • 1 colher (sopa) de de clara (cerca de 10g)
  • Corante alimentício em gel (usei verde e vermelho)

COMO FAZER?

A) MASSA

Misture o açúcar, com a manteiga (margarina) amolecida e as gemas até obter um creme. Junte a farinha, o fermento, as raspas, um pouco de canela e as claras, misture bem. Leve para gelar por 1 hora.  É assim que a massa vai chegar na consistência para cortar os formatos.

Com um rolo abra a massa, aos poucos, e corte em formatos natalinos, usando cortadores próprios. Leve ao forno preaquecido a 180º até dourar levemente. Depois de frios, decore com o glacê real.
Conserve em potes herméticos.

DSC_3811.JPG

B) GLACÊ REAL

Bata o GLAÇUCAR com a clara e o suco de limão até obter um glacê bem firme. Separe em pequenas porções e tinja com os corantes escolhidos.
Utilize saco de confeitar com bico fininho e comece a decorar! Mantenha o glacê coberto, sem contato com o ar, até o momento de usar, pois ele vai endurecendo sozinho.

dsc_3835

Fotos: Sílvia Espeschit.