Provando Ovos de Páscoa!

Não era nem para chocolate ter o tal do glúten, gente. Mas como muitos tem, fiz uma “caça aos ovos” e selecionei seis marcas seguras para celíacos curtirem a Páscoa! Tem também diversas opções sem lactose, sem açúcar e até ovo vegano!
No teste cego, qual será que levou a melhor?
Veja também no vídeo o passo a passo de como degustar chocolate como um profissional!
Para fazer sua degustação em casa, baixe o material de apoio (jogo americano para degustação e ficha de pontuação) usado no vídeo que eu mesma criei!
É só clicar em cada uma das imagens a seguir:
Use o cupom minhavidasemgluten e tenha descontos para comprar Ovos de Páscoa (e muitos outros produtos sem glúten) no site EMPÓRIO PANELA DA JU.
* 5% de desconto para compras no cartão e 10% para depósito/transferência. Um cupom por CPF.
Siga-me no instagram: @minhavida.semgluten e no canal no youtube!
FICHA TÉCNICA:
Produção, apresentação, edição: Sílvia Espeschit
Produção/ convidadas: Marcela Lepesqueur, Isabela França, Sarah Dutra.

 

Minha família sem glúten!

Ando super sumida aqui do blog, mas o assunto de hoje não ia caber no Instagram!

Comentei esses dias lá no @minhavida.semgluten sobre o casamento da minha irmã, no qual tivemos três celíacos (diagnosticados) no local. Em um universo de 250 pessoas, estávamos mais ou menos na proporção correta de celíacos da população. E ainda por cima diagnosticados, o que é bem difícil!

E como éramos três, conseguimos montar um esquema com salgadinhos e docinhos sem glúten pra gente. Orientamos muito bem o pessoal do buffet sobre a questão da contaminação cruzada (até o forninho de esquentar os salgados foi emprestado aqui de casa), e tivemos uma garçonete só para servir a gente. Emoção define! A gente se  acostuma a ir em festas, levar marmita ou não comer nada. Mas esse dia foi especial! Agradeço muito à minha irmã Sarah e minha mãe Angela pelo suporte, ao pessoal da Chácara Chiari por ter feito tudo certinho, e à  Não Contém pelas comidas deliciosas!

Quem são os celíacos da família?

Então, Doença Celíaca é algo super raro, mas com componentes de pré disposição genética. Às vezes não manifesta em ninguém da família, mas no meu caso foi diferente: dois casos antes de mim. E ainda assim foi difícil de chegar ao diagnóstico.

Meu tio Cláudio José Borela Espeschit, por parte de pai, recebeu o diagnóstico já tem alguns anos. Assim como eu, passou por vários médicos até descobrir o que estava acontecendo. Diferente de mim, que inchei muito por causa da inflamação, ele foi perdendo peso devido à dificuldade de absorção no intestino – a Doença Celíaca atrofia as vilosidades intestinais, por isso a análise da endoscopia é tão importante!

Mas olha, se não fosse minha prima, a Dra. Ana Cristina Rocha Espeschit, provavelmente estaríamos sofrendo até hoje. Doutora em nutrição, foi ela que acendeu o alarme nas duas situações: na minha, anos mais tarde, e do meu tio. Isso colaborou demais para a gente chegar ao diagnóstico, principalmente porque eu ia aos médicos e eles me liberavam com Buscopan, sem saber o que era. Eu mesma duvidava, mas ao ver fotos de celíacos com a barriga super redondinha ao ingerir glúten, não teve como não me identificar!

Mais uma celíaca da família é a Jéssica Macedo, minha prima de segundo grau por parte de mãe (oooutro lado da família), diagnosticada há incríveis 5 anos. Ele sentiu o intestino desregulado por alguns dias, depois de passar um tempo visitando a família em BH (com direito a muitos pãezinhos, bolos… lanches bem mineiros, né?). Para ver o que era, foi a um médico lá de São Paulo (SP), onde ela mora. E… plim! Raríssimo e fantástico, né? A Jéssica foi a primeira celíaca que conheci na vida, e sempre via nas festinhas de Natal algo separado para ela. Agora podemos comer juntas! Oba!

E vocês? Tem mais celíacos na família para dar aquela força?

Me contem aí nos comentários!

 

Minha Vida Sem Glúten

Olá, comunidade celíaca, intolerante à lactose e simpatizante!

O Minha Vida Sem Glúten começou tímido, como um perfil no Instagram só para me ajudar a trocar informações e me motivar no começo da minha jornada sem glúten. Comecei as postagens em março de 2016, pouco depois de fechar meu diagnóstico como celíaca, em fevereiro deste mesmo ano.

Estou muito feliz de estar há quase nove meses, ou seja, todo o tempo desde o diagnóstico, sem cair na tentação de ingerir qualquer “glútenzinho” hahaha. E estou mais feliz ainda de me sentir cada dia melhor, e de ter criado uma rede de apoio não só para mim como para outros celíacos/ intolerantes à lactose (descobri a intolerância no meio do caminho…).

É um caminho bem complicado, que envolve não só segurar as tentações como também aprender a ter cuidado com a tal da contaminação cruzada e o glúten escondido em diversos alimentos, cosméticos… cada dia uma descoberta!

E agora o blog do Minha Vida Sem Glúten chega para organizar direitinho as informações e assim ajudar mais e mais gente! Por aqui estarão separadas minhas dicas de viagem, locais em Belo Horizonte, produtos e muito mais!

Vem comigo!  😉

Foto: Maíra Guimarães